Alguns endereços de Londres e Paris

Londres

Restaurantes:
Cecconi – 5A Burlington Gardens, Mayfair
Tel: +44 20 7434 1500
Entre os mais antigos restaurantes italianos de Londres, boa opção para jantar: serviço ótimo, frequência muito boa, não se esqueça de fazer reserva. Enzo Cecconi, o mais jovem chef do Cipriani de Veneza na época, abriu seu restaurante em Londres em 1978 e foi um sucesso até fechar as portas em 99. Em 2000 foi reaberto, aproveitando as raízes venezianas de seu fundador.

Restaurante Cecconi
Foto Yeda Saigh
Scott’s – 20 Mount Street, Mayfair, Tel: +44 20 7629 5248
Lugar muito agradável para ir almoçar durante a semana. Destaque para o bar de ostras e para a especialidade da casa: os peixes. É também um dos mais conceituados e antigos de Londres. Serviço e frequência ótimos, necessário reservar.

03096-foto2e28093restaurantescott
Restaurante Scott’s
Foto Yeda Saigh

River Café – Thames Wharf, Rainville Road,
Tel: +44 20 7386 4200
Ótimo restaurante para almoço sábados ou domingos: fica a meia hora do centro de Londres, numa casa muito simpática em frente ao rio Tâmisa, vista muito bonita, muito alegre. No sábado que fomos estava cheio de famílias inglesas almoçando com crianças. Comida contemporânea ótima.

Restaurante River Café
Foto Yeda Saigh
Delaunay – 55 Aldwych
Tel.: +44 20 7499 8558
Endereço perfeito para jantar depois do teatro, decoração muito bonita art déco, menu variado, bem servido, ambiente super agradável. Aberto o dia todo para café, brunch, almoço, chá e jantar. Reservar antes.

Restaurante Delaunay
Foto Yeda Saigh
Zuma – 5 Raphael Street, Knightsbridge
Tel: +44 20 7584 1010
Dos mais badalados restaurantes japoneses de Londres, super bem frequentado, comida ótima, o serviço fica um pouco prejudicado por estar sempre muito lotado, várias salas, design contemporâneo. Indispensável a reserva com bastante antecedência (mínimo uma semana).

Restaurante Zuma

Foto Yeda Saigh
Al Hamra – 31-33 Shepherd Market, Mayfair, Tel: +44 20 7493 1954
Dos bons e antigos restaurantes árabes de Londres, comida muito boa. Instalado em um antigo edifício histórico e tombado, o restaurante fica ao lado do mercado Shepherd fundado em 1735, numa ruazinha super simpática, cheia de outros restaurantes. A frequência é de pessoas que trabalham por lá e de alguns turistas.

Restaurante Al Hamra
Shepherd’s Market
Hotéis
Hotel Berkeley ***** – Wilton Place, Knightsbridge, Tel: +44 20 7235 6000
Dos melhores e mais tradicionais hotéis de Londres, tem dois restaurantes muito bons: Marcus Wareing Berkeley, premiado pela excelência culinária e Koffmann’s do renomado chef Koffmann, que oferece um menu informal de bistrô para antes e depois do teatro. Concierge ótimo, consegue entradas de teatro difíceis, lugares em restaurantes, enfim, tudo o que você quiser. O hotel tem uma ótima localização, fica próximo aos melhores endereços de compras em Knightsbridge.
Curiosidade: na virada do século XIX o badalado restaurante do Berkeley era tido pela sociedade local como seguro para as debutantes frequentarem e um dos poucos lugares onde podiam encontrar os rapazes sem suas governantas. Tudo graças a excelente reputação conquistada pelo hotel perante os pais, de que seus funcionários “tomavam conta de suas filhas queridas”.

Hall Hotel Berkeley enfeitado para o Jubilee
Foto Yeda Saigh
Hotel Brown’s ***** – Albemarle Street, Mayfair
Tel: +44 20 7493 6020
Fundado em 1837 o hotel Brown’s, hoje da cadeia Rocco Forte, foi um dos primeiros de Londres. O serviço é impecável, walking distance das boas lojas de Old Bond, Bond e Regent Street, de bons restaurantes e da Royal Academy, onde sempre tem uma boa exposição. O chá do Hotel Brown’s é famoso, não perca!
351ef-foto8e28093brown
Hotel Brown’s
Hotel Savoy ***** – Strand
Tel: +44 20 7836 4343
Um dos grandes ícones de Londres, o hotel Savoy abriu em 1889. É famoso por ter hospedado líderes mundiais, artistas famosos, reis e rainhas, tem até um pequeno museu mostrando as fotos dessas pessoas que por lá passaram, muito divertido de ver.

O principal restaurante do Savoy, The Thames Foyer, foi inaugurado pelo famoso hoteleiro Cesar Ritz e seu amigo August Escoffier, que se tornou o grande chefe da cozinha do Savoy. Em 2005 o hotel foi comprado pelo Príncipe Alwaleed Bin Talal Bin AbdulAziz Alsaud.

Em 2007, após 118 anos de história, fechou as portas para uma reforma de quase três anos e 220 milhões de libras, reabrindo em 10/10/10: o hotel realmente está lindo, todo reformado. Um bom programa a se fazer em Londres é ir ao teatro Drury Lane, que é vizinho ao Savoy, e jantar em um dos restaurantes do hotel depois do teatro, dado que não são muitos abertos até tarde. Foi o que fizemos: fomos ao teatro e depois jantamos no River Restaurant, muito simpático, frequência muito agradável e boa comida; outra opção é tomar um drink no American Bar, com piano ao vivo.

Blenheim Palace – Woodstock, Oxfordshire
Tel: +44 01993 810500
O castelo de Blenheim em Woodstock, a oito milhas de Oxford e uma hora de Londres, rodeado de um enorme e maravilhoso parque, é um passeio muito agradável para se fazer aos domingos. Palácio dos XI Duques de Malborough, que ainda hoje moram lá, lugar onde nasceu Sir Winston Churchill e Patrimônio Histórico da Humanidade.

Vale muito a pena conhecer, o Palácio é lindo, salas ricamente decoradas, conta toda a história de Churchill: não perca a loja é muito sortida e boa. Aconselho depois da visita almoçar ali perto em uma pousada antiga muito charmosa com uma comida bem gostosa.

Blenheim Palace
Foto Yeda Saigh
Exposição Leather Forever – Hermès
Royal Academy of Arts, Burlington House, Piccadilly
Vimos na Royal Academy essa maravilhosa exposição sobre a trajetória do Hermès, que ficou lá apenas 20 dias. Se não fosse pelo meu querido amigo Helinho Pires não saberia dessa exposição, nem no hotel nos indicaram.

É toda a história do Hermès, começando pelas amostras dos couros que usam, você pode pegar na mão para sentir e ver, depois as bolsas, uma a uma na sequência em que foram criadas, depois as selas. Acredito que Leather Forever – Hermèsvá correr o mundo, se você tiver a oportunidade de ver não perca!

Exposição Hermès da Royal Academy
Foto Yeda Saigh
Tate Modern
Tel: +44 20 78878752
www.tate.org.uk
A Tate Modern de Londres, museu britânico de arte moderna faz parte, juntamente com a Tate Britain, a Tate Liverpool, a Tate St. Ives e a Tate Online, do grupo atualmente conhecido simplesmente como Tate. O museu foi instalado na antiga central elétrica de Bankside, às margens do Tâmisa.

A usina foi desativada em 1981 e o edifício foi reconvertido pelos arquitetos suíços Herzog e de Meuron. Desde sua abertura, em 12 de maio de 2000, o museu promove importantes mostras temporárias de arte moderna e contemporânea, e tornou-se a terceira maior atração londrina. Na coleção da Tate Modern figuram algumas importantes obras de Pablo Picasso, Matisse, Braque, Natalya Goncharova, de Chirico, Francis Bacon, Alexander Calder, Chagall, entre muitos outros artistas do século XX.

Três exposições maravilhosas na Tate Modern:
1 – Damien Hirst – pintor inglês contemporâneo muito famoso, já tem até ações na bolsa. Hirst é um dos artistas mais famosos da cena artística britânica e conhecido por explorar imagens associadas com a vida e a morte.
2 – Alghiero Boetti – um dos artistas mais importantes do século XX entre os italianos. Muito criativo, Boetti pertenceu ao grupo Arte Povera, jovens artistas italianos que no final dos anos 60 introduziram o uso de novos materiais essencialmente simples em suas criações.
3 – Yayoi Kusama – pintora japonesa de vanguarda, 82 anos, muito famosa nos anos 60. O trabalho de Yayoi Kusama abrange mais de seis décadas, tornando-a uma das artistas mais conhecidas do Japão. A exposição segue a cronologia de sua carreira, desde as primeiras pinturas do Japão provincial até os avanços ousados que se seguiram depois que se mudou para New York no final dos anos 50. Precursora do pop art influenciou artistas como Andy Warhol.
Curiosidade – Petit-pois na moda, na arte e no design– Yayoi Kusama é muito conhecida hoje em dia pelos desenhos de bolinhas que faz em toda as suas criações influenciando essas três áreas.

Yayoi Kusama na Tate Modern
Foto Yeda Saigh

Tate Britain
Tel: +44 20 7887 8888
http://www.tate.org.uk

Fazia muito tempo que eu não ia na Tate Britain, e valeu a pena ter ido, continua maravilhosa. Vimos uma exposição de Picasso e de alguns de seus contemporâneos ingleses, ótima, muito bem montada: “Picasso e a arte moderna britânica”. Primeira exposição a explorar o impacto de Pablo Picasso na arte britânica.

A exposição na Tate Britain também mostra como o trabalho de Picasso afetou o modernismo britânico e inspirou vários artistas contemporâneos ingleses. O acervo da Tateé maravilhoso, atenção para os Turners que agora tem um espaço especial só para eles.

Tate Britain – Picasso
Foto Yeda Saigh
Compras em Londres
Sloane Street – tem todas as marcas boas, uma loja ao lado da outra, o que facilita muito.
Mayfair – Old Bond Street, New Bond Street – galerias onde tem lojas de cashmeresem geral e os famosos N Peal – 37-40 Burlington Arcade.

Burlington Arcade
Foto Yeda Saigh
Covent Garden – Royal Opera House – Covent Garden.
Tel: +44(0)20 7240 1200
Box Office: +44(0)20 7304 4000 (Mon-Sat, 10am-8pm)
O Covent Garden é a sede da Royal Opera House, uma das casas de ópera mais importantes no mundo e do Royal Ballet. O edifício atual é o terceiro teatro erguido no local, construído em 1858, mas fizeram uma grande reforma nos anos 90. O Royal Opera House comporta 2968 pessoas. (Diário de Viagem – Londres II – Royal Opera House – 01/02/2012) Tivemos a sorte de assistir a ópera de Verdi, Nabucco, maravilhosa!!

Uma boa dica é reservar um lugar para jantar no intervalo da ópera na Green House, onde fica o restaurante: o lugar é lindo e muito alegre, um programa bem inglês!

Covent Garden
Foto Yeda Saigh
Christ Church College em Oxford
Fundada pelo rei Henrique VIII em 1546 é uma das maiores faculdades da Universidade de Oxford e também a Catedral da diocese local. De lá saíram treze primeiro ministros britânicos. O colégio serviu de cenário para peças como as aventuras de Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll.

Mais recentemente, foi utilizado nas filmagens dos romances de Harry Potter escritos por JK Rowling.

Só a partir de 1978 mulheres foram admitidas como estudantes em Christ Church College. Ainda hoje há 400 estudantes nessa faculdade.

Christ Church College
Foto Yeda Saigh
Paris
Restaurantes
Coq rico – 98, rue Lepic – 75018
Tel: 01 42 59 82 89
Bistrô em Montmartre inaugurado em janeiro deste ano, especializado em aves, na moda, menu pequeno mas muito bem preparado e muito gostoso com boas sobremesas.

O alsaciano Antoine Westermann dono de outros dois restaurantes em Paris, Drouante Mon Vieil Ami, trouxe seu discípulo Thierry Lébé, para comandar a cozinha.

Tour d’Argent – 15 Quai de la Tournelle, 75005
Tel: 01 43 54 23 31
Voltei ao Tour d’Argent depois de 40 anos e fiquei muito surpresa!!! Está super bem conservado, desde a entrada onde a recepção é calorosa, a vista deslumbrante, pegamos um por do sol lindo, e o pato continua incrível!
586e9-foto16e28093tourd
Restaurante Tour d’Argent
Foto Yeda Saigh
0b171-foto17e28093vistadotourd
Vista do Tour d’Argent
Foto Yeda Saigh
Marius et Janette – 4 Avenue George V, 75008
Tel: 01 47 23 41 88
Dos melhores restaurantes de peixe em Paris, muito simpático, agradável, serviço ótimo e comida muito boa. O menu gira em torno dos produtos frescos da estação. Segundo a crítica, um restaurante que domina a “arte do cru e o sabor do cozido”.
Café Prunier – 15, Place de la Madeleine – 75008
Tel: +33 1 47 42 98 91
O Café Prunieré um ótimo lugar para se almoçar durante a semana, fica ao lado da Pinacoteca. Os peixes são deliciosos, a frequência muito chique e a decoração contemporânea. Para essa segunda casa, a Maison Prunier pediu ao designer Jacques Grange que se inspirasse na casa mãe, o Prunier,da Ave Victor Hugo, que funciona desde 1872.

Café Prunier
Foto Yeda Saigh
Thiou – 49 Quai Orsay, 75007
Tel: +33 1 40 62 96 50
Restaurante tailandês muito bom, comida saborosa e muito leve, com destaque para os peixes. Um dos pratos famosos do menu, preparado com o peixe tigre é o “tigre qui pleure”.
Le Chenin – 33 rue Le Peletier – 75009
Tel: +33 1 47 70 12 01
Ao lado do Hotel Drouot tem um restaurante super simples e muito bom, quase um bar, as sobremesas ficam na entrada e dá vontade de pedir todas de tão apetitosas. Frequentado por pessoas que trabalham ali por perto, a maioria franceses. O restaurante tem uma decoração interessante: fotos de artistas sobre a parede e diversos objetos, dando um ar de bric à brac. O menu é da cozinha tradicional francesa com pratos saborosos e generosos.

Restaurante Le Chenin
Foto Yeda Saigh
Pinachotèque de Paris – 28 Place de la Madeleine – 75008 Tel: +33 1 42 68 02 01 (Diário de Viagem – Outras Dicas de Paris – Pinacothèque – 31/03/2011)
Vimos uma exposição linda e muito interessante: Modigliani, Soutine et l’aventure de Montparnasse. Trata-se da coleção de Jonas Netter, descobridor de vários talentos e um dos colecionadores mais marcantes do século XX. Graças a ele, muitos artistas como Modigliani, Soutine e Utrillo entre outros, existem hoje em dia, uma vez que passou o início do século XX comprando todas as telas desses artistas. Muito didática. Através de painéis ilustrativos acompanha-se essa época e a relação dos pintores com os seus marchands.

Pinacothèque – Exposição Modigliani
Foto Yeda Saigh
Louvre – Musée du Louvre, 75058
Tel: + 33 1 40 20 53 17
Parcours érotique com Laurent Cendras[3]
Laurent Cendras, artista e guia de museus, elaborou um roteiro através de várias obras do Louvre, quadros e esculturas, ao longo de vários séculos, sempre visto sobre esse prisma erótico.

Quem faz esse percurso passa a ter uma segunda leitura das obras e se dá conta de como são numerosas essas telas e esculturas com esse viés erótico. Ainda segundo Laurent, para um simples observador, certos detalhes da história que são muito importantes e que mudam totalmente a perspectiva que tínhamos da daquelas obras, passariam totalmente desapercebidos.

Parcours Érotique Louvre
Foto Yeda Saigh
Parcours Érotique Louvre
Foto Yeda Saigh
Curiosidade: os chineses invadiram o Louvre!!!
Museu Marmottan– 2 Rue Louis Boilly, 75016
Tel: +33 1 44 96 50 33

Exposição Berthe Morisot
Como já falamos em outro artigo (Diário de Viagem – Agenda Paris II – Museu Marmottan – 22/07/2010), realmente recomendo muito ir nesse pequeno museu. Além do acervo que é bem interessante vimos uma exposição de Berthe Morisot, artista mulher impressionista, raro para aquela época. As pinturas impressionistas na exposição retratam a mulher e a criança, com sutileza e delicadeza de formas, em cenas do cotidiano. As telas do final da exposição são paisagens e composições decorativas, que nos remetem a identificar os traços comuns entre Berthe, Monet e Renoir.

Museu Marmottan – Exposição Berthe Morisot
Foto Yeda Saigh
Hotel Drouot – Richelieu – 9, rue Drouot – 75009 – Tel: +33 1 48 00 20 20

O bairro Drouot deve o seu nome à mais antiga casa de leilões da cidade aberta em 1852, o hotel Drouot. A casa de Leilões é propriedade do governo francês: eles alugam salas para diversos antiquários que ficam abertos todos os dias para exporem desde peças caríssimas até objetos de arte mais simples para serem leiloadas. O leilão começa todo dia às 13hs em ponto. Em uma de suas salas em 2009, foi vendido o “Pensador” de Rodin, atingindo o valor recorde de 2,5 milhões de euros.

Hotel Drouot
Foto Yeda Saigh
Esculturas Netsuke – Hotel Drouot
Foto Yeda Saigh
Curiosidade: Netsukes são essas pequenas esculturas surgidas no Japão no século XVII muito usadas no período Edo atravessadas por orifícios. Eram esculpidas nos mais diversos materiais: madeira, marfim, metal, laca, conchas, presas de javali, de hipopótamo, chifres de rinoceronte, porcelana, cana e barro. A falta de bolsos nos kimonos ou kosodes usados pelos japoneses para que pudessem guardar seus pertences levou a criação de uma pequena bolsa que ficava presa à faixa do kimono por cordas que passavam pelos orifícios dos netsukes. Hoje são comumente vistos como enfeites, em tiras para pendurar celulares. Está muito na moda, principalmente por causa do sucesso do livro “A Lebre dos olhos cor de âmbar” de Edmund de Waal.
Aproveitem!!

[1] Laurent Cendras nasceu em Nîmes no sul da França, uma cidade rica em patrimônio romano antigo. Ainda criança passava seu tempo no Museu Réattu, onde descobriu os desenhos de touradas de Picasso, que foram o gatilho para a sua vocação artística. Obteve um Diploma em Estudos Aplicados (DEA) em arte moderna e contemporânea na Universidade de Paris IV da Sorbonne. Trabalhou como designer gráfico em casas de desenho têxtil para Christian Lacroix, Paco Rabanne, Urgé e Boussac. Especializou-se no estudo do Renascimento italiano, em retratos do século XVIII e em Land Art, trabalhou como estagiário no Departamento de Old Master Paintings na Christie de Nova York e junto a especialistas parisienses como Eric Turquin de Bayser e Millet René. Em Paris, sua obra gráfica foi exibida nas galerias Marion Meyer, Galerie Argentina, Galeries des Editions Caractères, e em feiras de arte contemporânea, como Figuration Critique, Art Paris, Pages, Art Actuel Grand Palais e Comparaisons. Entre seus temas favoritos estudou em particular o trabalho do escritor argentino Borges, as realizações do arquiteto grego Hipodamo e o mito do Minotauro. Faz visitas guiadas no Louvre com temas originais com o objetivo de descobrir as obras de arte sob aspectos inesperados, através de uma abordagem a histórica, psicanalítica, biográfica e pedagógica.
Alguns temas das visitas:
O sopro da revolução, o homem romântico, as festas galantes do Rococó (de Watteau à Fragonard), a busca do pai ou as relações de Leonardo da Vinci e François I, o Louvre erótico (estratégias sexuais e de sedução na arte ocidental).


Colaboradora: Virginia Figliolini Schreuders


7 comentários em “Alguns endereços de Londres e Paris

  1. Saiu muito legal a reportagem. A foto saiu mesmo otima (Rita e eu) da p/ ver que a gente se divertiu. Demorei p/ reconhecer o Delaunay; e acho que “tigre qui pleure” eh fillet-mignon. Tudo bem. Beijos
    Lina

    Curtir

  2. Bonjour Yeda,
    et merci pour ce fantastique article sur les parcours au Louvre. Cela donne vraiment envie de s'embarquer pour une balade érotique. J'ai trouvé judicieux le choix des deux photos.
    Par contre le numéro de téléphone du Louvre est le numéro général administratif de la banque d'informations. Ils ne sont pas habilités à donner les informations sur des sujets précis. Généralement ils ne répondent pas et c'est juste un standard avec une voix enregistrée.
    Il vaut mieux communiquer mon numéro de téléphone ou mon adresse e-mail si nécessaire. Et si c'est possible de changer sur le blog bien sur.
    07 61 21 51 28 ou laurentcendras@hotmail.com
    Je vais passer quelques jours à Londres et je vais aller voir les expositions recommandées sur le blog. Au centre Georges Pompidou il y a aussi quelques oeuvres marquantes de Yayoi Kusama.
    Il faut vraiment penser à écrire un carnet de voyage qui pourrait s'accompagner de réflexions sur la confrontation des cultures et des différents modes de vie et de pensée.
    Beijos
    Laurent

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s