Instituto Figueiredo Ferraz

 

9172a-foto1e28093institutofigueiredoferraz
Fachada do Instituto Figueiredo Ferraz – Foto Yeda Saigh
Esse final de semana o Núcleo Contemporâneo do MAM, do qual faço parte, nos levou conhecer o Instituto Figueiredo Ferraz em Ribeirão Preto, um projeto grandioso de João Carlos de Figueiredo Ferraz, filho do ex-prefeito de São Paulo, José Carlos de Figueiredo Ferraz.

Ele nos contou durante nossa visita ao Instituto, inaugurado em Outubro de 2011, que “não aguentava mais ver as obras encaixotadas; elas precisavam ser expostas. Então é um prazer imenso que estejam à mostra aqui”.

6d40c-foto2e28093institutofigueiredoferraze28093exposiccca7acc83o
Sala de Exposição – Foto Yeda Saigh

Há dez anos João Carlos já idealizava fazer um Instituto, depois de muito procurar parcerias sem sucesso, resolveu fazer o projeto sozinho. “A coleção merecia e eu precisava torná-la pública. Isso que está aqui faz parte do patrimônio do país”, salienta ele, que há dois anos adquiriu um terreno de 2 mil metros quadrados e, com a esposa, a arquiteta Dulce de Figueiredo Ferraz, desenhou as instalações.

634c8-foto3e28093institutofigueiredoferraze28093salaexposiccca7acc83o
Sala de Exposição – Sala de Exposição

João Carlos começou a colecionar obras de arte há mais de vinte anos. Desde 1985 era um assíduo frequentador da galeria de Luisa Strina. Uma de suas primeiras aquisições foi um óleo sobre tela de Jorge Guinle Filho: Threshold. Até então nem imaginava tornar-se um colecionador de arte, mas foi exatamente o que aconteceu a partir daí e essa paixão por colecionar o levou a criar o Instituto Figueiredo Ferraz. “O Jorginho começava a aparecer naquela época e participava ainda de salões de arte quando a Luisa me apresentou o trabalho dele. Foi uma das primeiras peças que tive e, depois, viria a comprar outras obras dele”, nos contou João Carlos.

109c5-foto4e28093parafernacc81liajorgeguinlee280931981
Paraphernalia – Jorge Guinle – Foto Yeda Saigh

Com mais de mil peças em seu acervo, o casal já havia desistido da ideia de montar um espaço voltado para as artes plásticas, até surgir a chance de comprar o terreno onde está hoje o Instituto.

adbdf-foto5e28093pianomudotatianaglass
Piano Mudo – Tatiana Glass – Foto Yeda Saigh

O projeto do prédio é incrível, espaços grandes que se comunicam para assegurar uma excelente visão do todo. Em uma área construída de 2,5 mil metros quadrados o Instituto conta com quatro salas para exposição, sendo duas no primeiro piso e duas no segundo, uma área para reserva técnica, um auditório para 60 pessoas, além de escritório, biblioteca, escritório, jardim e um bar que funciona apenas nos dias de eventos especiais.

9fc4a-foto6e28093auditocc81rioinstitutofigueiredoferraz
Auditório do Instituto Figueiredo Ferraz – Foto Yeda Saigh

O objetivo do Instituto Figueiredo Ferraz foi difundir a arte e cultura em Ribeirão Preto expondo permanentemente a coleção do casal. Também se propõe a trazer exposições temporárias de diferentes artistas e oferecer cursos e palestras com artistas de renome, workshops de artes visuais, fotografia, literatura, história da arte, arquitetura e design.

8c3ed-foto7e28093zerohidrogracc81ficogiselamottaeleonardolima
Zero Hidrográfico – Gisela Motta e Leonardo Lima – Foto Yeda Saigh 

O Colecionador de Sonhos, exposição de abertura do Instituto, expõe 154 obras do acervo de João Figueiredo Ferraz. Focada em arte contemporânea, teve como curador Agnaldo Farias responsável pela escolha das obras e disposição das mesmas nas salas do museu. Agnaldo é crítico de arte, professor da FAU – USP e foi o curador da 29ª Bienal de São Paulo.

307f8-foto8e28093semticc81tuloedgarddesouza
Sem Título – Edgar de Souza – Foto Yeda Saigh

O curador Cauê Alves é o responsável pela segunda exposição do Instituto, Amilcar, desenhos e esculturas, de Amilcar de Castro, que abriu em 23 de junho e ficará até 26 de setembro de 2012. Cauê também é quem responde por cursos de História da Arte.

5a8f0-foto9e28093amilcardecastronoinstitutofigueiredoferraz
Exposição Amilcar de Castro – Foto Yeda Saigh
A exposição Amilcar são desenhos e esculturas, um panorama sobre a criação de Amilcar de Castro, que contará com 152 obras do artista.

A mostra, resultado de uma parceria do Instituto Figueiredo Ferraz com o Instituto Amilcar de Castro, procura mostrar uma visão particular da obra do concretista, que detém extensa produção nos pouco mais de 80 anos de vida. Estarão expostos alguns “desenhos”, como os chamava o artista, que são as telas que serviam de estudo e base para as criações tão características de Amilcar.

0f88e-foto10e28093semticc81tuloboi
Sem Título – Boi – Foto Yeda Saigh
Museu de Arte de Ribeirão Preto
Fomos visitar o museu no domingo de manhã, que abriu suas portas só para o Núcleo. Estavam expostos os premiados do Salão de Ribeirão Preto de onde saem novos talentos.

Inaugurado em dezembro de 1992 o MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto tinha como objetivo reunir todo o acervo de artes plásticas da Prefeitura da cidade, obras essas do Salão de Arte de Ribeirão Preto e do Salão Brasileiro de Belas Artes, adquiridas pela prefeitura de Ribeirão Preto, bem como obras doadas, como o conjunto de obras dos artistas Leonello Berti e Nair Opromolla; e também promover a recuperação do acervo.

9a9dd-foto11e28093semticc81tuloluicc81szerbini
Sem Título – Luiz Zerbini – Foto Yeda Saigh
Ribeirão Preto é hoje em dia um importante polo econômico, científico e cultural no Estado de São Paulo. A região é uma das mais ricas do estado de São Paulo, com elevado padrão de vida, renda, consumo e longevidade. Antigamente a cidade era lembrada por locais como o tradicional chopp Pingüim, os parques Curupira, Raia, Maurílio Biagi, Cauim e pelo Museu do Café. Há muitos anos destaca-se pela presença da Universidade de São Paulo, importantes indústrias e usinas de açúcar, sendo uma das maiores produtoras mundiais de açúcar e álcool.
b6b59-foto12e28093semticc81tulomarianaserri
Sem Título – Mariana Serri – Foto Yeda Saigh

O Instituto Figueiredo Ferraz e o Museu de Arte de Ribeirão Preto vieram selar a importância da cidade de Ribeirão Preto como polo cultural no país.

88428-foto13e28093dulceejoacc83ocarlosfigueiredoferraz
João Carlos e Dulce Figueiredo – Foto Yeda Saigh

Para finalizar um pensamento que exprime a nossa visita:

“Transformar idéias em projetos e estes em ações é para pessoas empreendedoras. Se não o fizer, alguém o fará e você passará a ser um mero espectador do sucesso.”
Roberto Rabello
Boa viagem!
Colaboradora: Virginia Figliolini Schreuders

8 comentários em “Instituto Figueiredo Ferraz

  1. Comentário enviado em 15 julho 2012 por Sa Moreira

    Yeda,
    Barbaro !!!!
    Eu nao conhecia o IFF. Sabia que o JC era colecionador, mas nao imaginava que fosse a ponto de montar uma mini-Inhotim em Ribeirao… Na minha proxima ida la, certamente irei visitar. Tambem adoro Arte Contemporanea. Queria ver com vc como posso participar desse Nucleo
    Abracao
    Sa

    Curtir

  2. Yeda
    Nuito bom seu artigo da Fundação Fiqueiredo Ferraz…que está + para Eduardo Censtantini do que para Bernardo Paz. Gostei do gosto dele…o quadro do Jorginho Guinle é uma paixão; é dos poucos pintores nacionais que me dá coceiras de comprar…sei lá , são delírios meus, nem tenho onde por mas gosto do gosto do Fiqueiredo Ferraz pela pintura. A escultura do Edgard de Souza já vi até na casa do Jorge Takla, existe em vários tamanhos… mas isso das tiragens é próprio das esculturas mesmo. Enfim valeu a pena tomar conhecimento dessa instituiçãp através do seu artgo,
    Beijos
    Lina

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s