Um dos melhores meses para passear no Rio é julho: a temperatura é muito agradável, em torno de 24 graus durante o dia, sol, céu azul, praia não tão cheia e a noite um friozinho gostoso, nada além de um sweater leve. Desta vez fizemos uns programas diferentes. A Baía de Guanabara vista pela ilha de Paquetá é um lindo passeio! E a ilha da Gigóia, em plena Barra da Tijuca é super interessante. Além das ilhas, visitamos a Cidade das Artes, e também shoppings. Tudo valeu muito a pena!!!

Ilha de Paquetá
 

O único meio de se chegar a esta ilha, é  um catamarã, que leva 35min, ou a tradicional barca que leva 1h10, são 15 km de travessia  e proporciona um fantástico visual de toda a Baía de Guanabara.

Barca para Paquetá – Foto Yeda Saigh
 
A maior vantagem da Ilha hoje em dia é que lá é proibido transitar de carro!! Assim que você chega tem muitas charretes ou bicicletas com motorista que, por R$100,00 ou R$35,00, mostram os pontos principais do lugar durante uma hora. Eu optei por dar a volta na Ilha a pé, bem mais agradável, o que definitivamente dá para aproveitar melhor a paisagem.
 
Charrete em Paquetá – Foto Yeda Saigh
 O nome Paquetá significa muitas pacas na língua indígena “nheengatu”. Esta era a língua falada pelos índios Tupis na Baía de Guanabara por ocasião da chegada dos portugueses ao Rio de Janeiro.  A ilha foi descoberta em 1555, quando os franceses dominaram a costa fluminense para fundar a França Antártica. Dez anos depois, Estácio de Sá estraga os planos do francês Nicolas Durand de Villegaignon, toma as terras de volta para Portugal e funda no anoseguinte a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. 
Mais de 240 anos depois, com a chegada da Família Real à Colônia em 1808, Paquetá ganhou um novo status. Dom João VI escolheu a ilha para se refugiar da Corte de vez em quando. A chácara em que o monarca se hospedava, o Solar Del Rei, tombado desde 1937 pelo IPHAN, ainda existe, porém, está num estado deplorável. Conversei com a responsável que cuida do Solar que me informou que a carruagem de D. João VI ainda está lá, mas toda estragada. Esta situação mostra um descaso das autoridades com o patrimônio histórico do país.

 
Rua Príncipe Regente, 55 – Paquetá – Rio de Janeiro – RJ Telefone: 55 (21) 3397 0388.

cf126-foto2asolardelrey
Solar del Rey – Foto Yeda Saigh
8e5e3-foto3ilha
Ilha de Paquetá – Foto Yeda Saigh

Começamos nosso passeio pela praia José Bonifácio, que deve seu nome ao Patriarca da Independência, José Bonifácio de Andrada e Silva. Os livros de História relatam que após ser afastado da tutoria de D. Pedro II e preso por supostamente liderar um complô para trazer D. Pedro I de volta o Brasil, José Bonifácio foi levado em 1833 para a casa em Paquetá para cumprir pena em regime domiciliar. De lá, só saiu cinco anos depois para morar na cidade de Niterói, onde morreu. A casa em estilo colonial é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1938 e tem suas características preservadas.

06d7c-foto4casajosebonifacio
Casa José Bonifácio – Foto Yeda Saigh

Continuamos nosso passeio a pé até o Parque Darke de Mattos que possui árvores enormes e centenárias, uma trilha, dois mirantes e um terraço com lindas vistas para praias, montanhas, serras e ilhas à volta e fica no final da Praia José Bonifácio. Antes de chegar ao parque, passa-se também pela Praça Pintor Augusto Silva, com amplas áreas gramadas, árvores, coqueiros que se estendem de frente ao terraço panorâmico. Existe também um amplo terraço de frente para o mar com vistas para a Baía de Guanabara.

8ca28-foto5parquedarke
Parque Darke de Mattos – Fotos Yeda Saigh

Depois do Parque fomos conhecer a famosa árvore baobá, também chamada de Maria Gorda.Originária das savanas da África é muito conhecida por aqui, não só por ser a maior representante do nosso reino vegetal: são mais de três metros de largura. Quem trouxe a muda foi o médico e professor botânico José Caetano de Almeida Gomes em 1907.

Maria Gorda carrega consigo uma lenda: Maria Gorda é como os escravos chamavam Maria Apolinária da Nação Cabinda – uma mucama simpática e de sorriso largo, que trabalhava na casa de um rico comerciante português que morava na Ilha e tinha muitos escravos. Dizem que no mesmo dia em que Maria Apolinária morreu a Maria Gorda nasceu fincando assim raízes profundas da África em Paquetá.

7961a-foto6lenda
Lenda da Maria Gorda – Foto Yeda Saigh
027fd-foto7baoba
Árvore Baobá – Foto Yeda Saigh

Passamos pela praia dos Frades, pela praia da Imbuca, todas muito bonitas e com vista para a baía.

5a9d8-foto8praiaspaquetacc81
Praias de Paqueta – Foto Yeda Saigh

Fomos também conhecer a Capela de são Roque, construída em 1698, que sofreu várias alterações, sendo a última no início da década de 80.

083d4-foto9capelasacc83oroque
Capela de São Roque – Foto Yeda Saigh

Passamos pela Chácara da Moreninha, reduto cultural da Ilha por décadas. Por sua beleza única, a chácara tem sido locação para diversas filmagens, incluindo a novela e o filme A Moreninha baseado no romance de Joaquim Manuel de Macedo em 1843. Existem também afirmações que o romance teria sido escrito quando o autor esteve hospedado em uma pensão na ilha.

0c106-foto10chacaradamoreninha
Chácara da Moreninha – Foto Yeda Saigh

Depois fomos visitar a Casa de Artes de Paquetá que é ao lado da chácara. É uma casa colonial super simpática, onde tomamos um café expresso com biscoito. É um centro de memória da Ilha de Paquetá para consultas e pesquisas e também um centro de recepção turística, alem de fazer promoções de eventos culturais e artísticos e um local para exposições.

Praça São Roque 31 – 55 12 33970517

f6341-foto11casadasartespaqueta
Casa de Artes – Foto Yeda Saigh

Na volta paramos para visitar o Museu Histórico Nacional, criado na década de 1922, hoje reúne um acervo com cerca de 350 mil itens, como móveis, armas, esculturas, pratarias etc., utilizados no estudo, preservação e divulgação da História do Brasil. Há também uma biblioteca, com mais de 57.000 títulos relativos a história, heráldica, filatelia, numismática, museologia, moda e genealogia. Nela se encontram obras raras dos séculos XVI, XVII e XVIII e edições esgotadas, originais e obras ricamente encadernadas.
Praça Marechal Âncora – Centro – 55 (21) 3299-0300 –  55 (21) 3299-0324

Horários: de 3- a 6- Feira – das 10h às 17h30 – Fechado às 2- feiras

Sábados, Domingos e Feriados – Das 14h00 às 18h00

34a5a-foto11amuseuhistoricopaqueta
Museu Histórico Nacional – Foto Yeda Saigh

Ilha da Gigóia 

Fomos conhecer o atelier do artista Roberto Magalhães que fica na Ilha da Gigóia e foi muito interessante.

916aa-foto12balsailhadagigoia
Balsa que atravessa para a Ilha da Gogóia – Foto Yeda Saigh

É a mais famosa das sete ilhas que se escondem ali no comecinho da Barra da Tijuca.

Algumas pessoas se refugiam nesse lugar, morando em casas admiráveis. Algumas extremamente simples, outras bastante luxuosas.

f2076-foto13atelierrobertomagalhaes
Atelier Roberto Magalhães – Foto Yeda Saigh

A ilha é pequena e é possível cruzá-la em uma caminhada de 20 minutos, mas oferece um ambiente pacato e bucólico, que contrasta com a agitação do restante do bairro, tornando a grande atração da Ilha o meio ambiente.

Sem ruas nem carros, todo o percurso é feito por vielas. O acesso à ilha é feito por barcos e pequenas balsas.

260de-foto14atelierrobertomagalhaes
Atelier Roberto Magalhães – Foto Yeda Saigh

A ilha tem aproximadamente 3 mil moradores e o local é seguro pois o acesso exclusivo, via barco, inviabiliza roubos e furtos.

Restaurantes

Laguna

Inaugurado em 2001, oferece pratos com peixes e frutos do mar, com iluminação à luz de velas ao anoitecer.
Ilha da Gigóia, 46 A – Barra da Tijuca – 55 (21) 2495-1229

c849e-foto15restlagunacircuitoelegante
Restaurante Laguna – Foto Internet

Capriccio

 Com vista para o Canal da Tijuca, num lugar de rara beleza foi inaugurado o mais novo restaurante da Ilha da Gigóia. É um espaço rústico privilegiado pela natureza local, com mesas em meio a árvores e um deque de madeira.

Alameda das Mangueiras, s/n – Ilha da Gigóia – Barra da Tijuca – +55 (21) 2491-0142  – +55 (21) 2253-8763

94e7f-foto16restcapricciocidadedebarra-blogspot
Restaurante Capriccio – Foto Internet

Pizzaria Alla Pergola

A casa oferece mais de 40 sabores de pizzas com massa fina e preparadas no forno a lenha.

Ilha da Gigóia, 11 – Barra da Tijuca – +55 (21) 3139-3090 e +55 (21) 8666-3090

Fundação Cidade das Artes
Fomos visitar a Cidade das Artes e realmente valeu o passeio! É espetacular, recomendo muito visitar de dia pois a vista que se tem de lá é muito especial! Com projeto do francês Christian de Portzamparc, é hoje ponto de referência na cidade. Sua construção foi polêmica pelo alto custo não só da obra como também da manutenção.

caade-foto17combocidadedasartes1
Cidade das Artes – Fotos Yeda Saigh

A Cidade das Artes inaugurou um novo tempo
na vida cultural do Rio em janeiro de 2013 com o espetáculo Rock in Rio – o musical. O prédio escultural erguido a dez metros do chão, no coração da Barra da Tijuca, abriga um dos mais importantes e completos espaços para a representação das artes, música, canto, teatro, cinema, dança, artes plásticas e outras manifestações artísticas brasileiras e de todos os povos.

1d0ea-foto18combocidadedasartes3
Cidade das Artes – Fotos Yeda Saigh

Presidente da Fundação, depois de dirigir o Teatro Municipal do Rio de Janeiro e ter sido secretário de Cultura no Rio e em São Paulo, Emilio Kalil enfrenta o mais provocante dos encargos: a Cidade das Artes, ex-Cidade da Música.

fa254-foto19combolounge
Lounge Cidade das Artes – Fotos Yeda Saigh

O complexo cultural reúne, um teatro maravilhoso com capacidade para 1250 pessoas, um sofisticado Teatro de Câmara, com 450 lugares, tudo de extremo de bom gosto, uma galeria de arte, Sala de Música Eletroacústica, salas multiuso, modernas salas de ensaio e espaçosos camarins integrados a um lounge de convivência. A bilheteria está instalada no térreo, em meio às “velas”, que substituíram os pilotis com suas paredes de concreto. Também no térreo fica o grande espelho d’água, entrecortado pelos pátios cobertos e de onde se erguem vigorosas colunas.

Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ,  55 (21) 3325-0102

191e9-foto20villagemall
Shopping Village Mall – Foto Yeda Saigh

e uma das lojas mais bonitas da Apple, só perdendo para a de Londres.

71a51-foto21lojaapple
Loja Apple – Foto Yeda Saigh
6cee2-foto22vistashoppinvillamall
Vista do Shopping Village Mall – Foto Yeda Saigh

Muito gostoso para passear, arejado, e um ótimo programa para almoçar. Os melhores restaurantes do Rio abriram suas portas nesse Shopping: Pobre Juan, CT Trois Gros, Le Vin, Naka.

O Teatro Bradesco Village Mall, possui capacidade para 1.060 pessoas e cadeiras idênticas às do Carnegie Hall, famosa casa de shows de Nova York. O shopping também conta com quatro salas de cinema “Cinemark Prime” com tecnologia de última geração, uma área de 1500 m² para eventos, além de restaurantes no terraço com vista para a Lagoa da Tijuca.

Avenida das Américas, 3.900 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – 55 (21) 3252-2999

73d22-foto23restpobrejuan
Restaurante Pobre Juan – Foto Yeda Saigh
9f426-foto24restnaga
Restaurante Naga – Foto Yeda Saigh

Shopping da Gávea

É um shopping tradicional, fácil de andar: conta com quatro teatros da melhor qualidade: Teatro das Artes, Teatro dos Quatro, Teatro Clara Nunes, Teatro Vanucci e 5 salas de cinemas com muito conforto e qualidade. É uma boa opção para um aperitivo ou um jantar informal antes dos shows alem de contar com lojas de decoração, lojas da moda e bem cotados bares e restaurantes.

Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea, Rio de Janeiro – RJ – +55 (21) 2294-1096

Para terminar, nada melhor do que um pensamento do grande poeta Vinicius de Moraes:

A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida!

Boa viagem

Yeda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s