Egito – Cruzeiro no Rio Nilo

Parte 2

A importância do Rio Nilo para o Egito é histórica. Um dos rios mais extensos do mundo – até hoje se debate se ele ou o Amazonas é o mais longo – o Nilo é tão relevante para o país que 90% da população vive às margens dele. Além de ser extremamente necessário para a economia e vida local, ele também proporciona cruzeiros para destinos históricos e joias do antigo Egito.

Foto 1 - Rio Nilo Egito 44Rio Nilo – Foto Yeda Saigh

 Fizemos o cruzeiro com um navio do Hotel Sheraton. Saímos do Cairo para Aswan pela Egyptian Air, 1:15 de vôo e fomos direto para o barco.

Foto 2 - rio Nilo. Egito 19Navegando pelo Rio Nilo – Foto Yeda Saigh

Chegando lá fomos passear de feluca, antiga embarcação egípcia, no rio Nilo.

Foto 3- Passeio de FelucaPasseio de Feluca pelo Rio Nilo – Foto Internet

Depois fomos de barco visitar o mosteiro de St. Simão, o Curtidor (séc. X), também conhecido como São Simão, o Sapateiro.

Foto 4 - Mosteiro de S. SimãoMosteiro de S. Simão – Foto Yeda Saigh/Internet

De lá fomos andar de camelo, uma delícia de passeio e uma vista maravilhosa!!

Foto 5 - Passeio de camelo.Egito 11Passeio de Camelo – Foto Yeda Saigh

A noite fomos tomar um drink no hotel Sofitel

Legend Old Cataract Aswan, luxuoso hotel 5 estrelas em um palácio vitoriano do século 19 às margens do rio Nilo, da época do rei Farouk, ótimo! Jantamos no restaurante 1902, muito bonito, comida boa, chef francês, vale a pena pelo lugar e pela atmosfera.

Endereço: Abtal El Tahrir Street, Aswan, Egito

Telefone: +20 97 2316000

http://www.sofitel.com/gb/hotel-1666-sofitel-legend-old-cataract-aswan/index.shtml

Foto 6 - Hotel Legend Old Cataract AswanRestaurante e Hotel Sofitel Legend Old Cataract Aswan – Foto Internet

 Ilha de Philae

Fomos de barco para Ilha Philae, uma ilha egípcia no rio Nilo, localizada perto da primeira catarata, a cerca de sete kms. de Aswan. Antigamente encontrava-se nesta ilha, um complexo de templos que, quando fizeram o dique grande de Aswan, acabavam por ficar submersos durante a maior parte do ano. Por esta razão o conhecido templo de Ísis da ilha foi desmontado e reconstruído na ilha vizinha de Agilkia, a cerca de 300 metros.

Foto 6a - Templo-de-Philae.Egito 25Templo de Philae – Foto Yeda Saigh

Fomos de barco para ver o son et lumiére em Philae, falado em francês, maravilhoso!

Foto 7- Templo de PhilaeTemplo de Philae – Foto Yeda Saigh

 Templo de Isis

é uma parte do Templo de Philae, dedicado à Deusa Ísis, construído na época de Nectanebo I, embora seja uma obra da era ptolomaica.

Foto 8 - Templo de Isis.Egito 18Templo de Isis – Foto Yeda Saigh

É o templo mais feminino de todo o Egito, e era lá que a poderosa Cleópatra ia buscar proteção e orientação espiritual e vinha prestar suas homenagens à deusa. Ela e o seu séquito desciam em seu barco desde Alexandria, de onde governava, entravam no Delta do Nilo e percorriam todo o país até chegar em Aswan. É muito bonito, recomendo muito a visita!

Foto 9 - Templo de Isis em PhilaeEgito 16Templo de Isis – Foto Yeda Saigh

Almoçamos e descansamos no navio. É uma delícia ficar no deque do navio em cadeiras espreguiçadeiras vendo a paisagem do Nilo que é muito bonita e repousante. As margens são perto, não é um rio muito largo, então pode-se ver dos dois lados, gado pastando, gente carpindo lavoura, é realmente muito bonito.

Foto 10 - rio Nilo vista do Vale dos Reis.Egito 21Paisagem do rio Nilo através do barco – Foto Yeda Saigh

À tarde fomos visitar o templo de Kom Ombo, templo muito bonito, mas bem destruído.

Kom Ombo

O Templo de Kom Ombo foi construído há mais de dois mil anos, no Egito, durante a dinastia ptolemaica, na cidade de Kom Ombo. É o único templo duplo egípcio, assim chamado por ser dedicado a duas divindades: um lado do templo é dedicado ao deus crocodilo Sobek, deus da fertilidade e criador do mundo; o outro lado é dedicado ao deus falcão Horus.

Foto 11- Templo de Kom OmboTemplo de Kom Ombo – Foto Yeda Saigh

 A construção do templo começou no início do reinado de Ptolomeu IV (180-145 aC) e prolongou-se por vários reinados subsequentes. Em uma área lateral do templo foi construído um nilômetro. Ao longo dos anos, o templo sofreu a ação das inundações do rio Nilo, de terremotos e da retirada de pedras e objetos arquitetônicos promovida por outros construtores para a execução de novos projetos.

Atravessamos a eclusa de Esna e navegamos para Edfu.

Foto 12 - Eclusa. Egito 29Eclusa – Foto Yeda Saigh

 Templo de Edfu

No dia seguinte fomos visitar o templo de Edfu, saímos de charrete para o templo, muito bonito, primeiro templo egípcio inteiro que vemos.

Foto 13 - Templo de Edfu 27036337Templo de Edfu – Foto Yeda Saigh

 O Templo de Edfu, chamado também o templo de Hórus é, sem dúvida, um dos mais conservados e belos templos em todo o Egito. Situa-se na margem oeste do Rio Nilo. É um templo construído de pedra arenosa que possui cenas e muitas inscrições em relevos. A construção iniciou-se por volta do ano 237 a.C, no décimo ano do reinado de Ptolomeu III, Evérgeta I e foi consumada durante os reinados de Ptolomeu IV, Ptolomeu VIII, e Ptolomeu XII por volta do ano 57 a.C, sem esquecer alguns acréscimos adicionados à construção no reinado do imperador Augusto, e assim esse belo templo permaneceu sob obras por cerca de 180 anos. O templo foi dedicado ao deus Hórus.

Foto 14 - Sala hipóstila. Templo de Edfu Templo de Edfu. Templo de Horus. – Foto Yeda Saigh

 Curiosidade

O nilômetro surgiu em todos os templos egípcios da Época Greco-romana. Era um poço bem largo, com uma escada que descia até ao nível do lençol freático, para permitir a medição das flutuações do nível da água do rio Nilo. Cada templo tinha um destes instrumentos, destinado a determinar a intensidade da inundação anual. Os nilômetros podem ser vistos ainda hoje ao longo do Nilo. Os mais famosos encontram-se em Kom Ombo, Aswan, na ilha Elefantina e no Cairo.

Foto 15 - nilometer-10[6]Nilômetro – Foto Internet

Visitamos a Barragem Alta de Aswan, construída entre 1960 e 1970 e depois fomos para Luxor visitar o Templo de Karnak.

 Foto 16 - Templo de KarnakTemplo de Karnak – Foto Yeda Saigh

Luxor fica a quase 700 quilômetros ao sul do Cairo, e é a cidade onde as pesquisas arqueológicas foram mais produtivas, revelando ao mundo dezenas de monumentos da antiga civilização egípcia. Dividida pelo Rio Nilo, as margens leste e oeste abrigam abundantes relíquias que têm sido restauradas e mantidas ao longo dos anos.

Foto 17 - Templo de Karnak avenida das Esfinges 3km até o templo de Karnak.Egito 31Av. das Esfinges – 3km até o Templo de Karnak – Foto Yeda Saigh

Templo de Karnak

O maior templo de todo o Egito, localizado na antiga cidade egípcia de Tebas, a cidade tem sido frequentemente caracterizada como “o maior museu ao ar livre do mundo”. Logo em frente, do outro lado do rio Nilo, repousam os monumentos, templos e túmulos da Necrópole de Tebas, que inclui o Vale dos Reis e o Vale das Rainhas. Milhares de turistas de todo o mundo chegam anualmente para visitar estes monumentos, contribuindo grandemente para a economia da cidade moderna.

Foto 18 - Templo de Karnak.1jpgTemplo de Karnak – Foto Yeda Saigh

A construção foi iniciada por volta de 2200 a.C. e terminado por volta de 360 a.C. Durante a XIX dinastia trabalharam no templo cerca de 80.000 pessoas. O templo esteve submerso nas areias egípcias durante mais de mil anos, antes dos trabalhos de escavação começarem em meados do século XVIII: a enorme tarefa de restauro e conservação continua até aos nossos dias.

Foto 19 - Templo de Karnak.Egito 41 Templo de Karnak – Foto Yeda Saigh

Em Karnak, ainda restam algumas das mais de 130 gigantescas colunas esculpidas em pedra maciça. Cada uma delas tem mais de 20 metros de altura, qualquer visita ao Egito não seria a mesma sem uma digna visita ao Templo de Karnak.

Foto 20 -Templo de Karnak.Egito 42Templo de Karnak – Foto Yeda Saigh

Atualmente é um dos locais mais procurados pelos turistas que visitam o Egito e pode ser admirado à noite em um espetáculo de son e lumière.

É provavelmente, o son et lumière mais interessante do Egito. Traça um período histórico de grande importância e permite que você aprecie a escala e pompa das festividades comemorando a Nile flood.

Foto 21 - Templo de Karnak.Egito 40Templo de Karnak – Foto Yeda Saigh

Fomos tomar chá no Hotel Winter Palace, um luxuoso hotel 5 estrelas, construído em 1886 por exploradores britânicos, situado perto do rio Nilo em meio a jardins tropicais e templos antigos. O famoso Lord Carnarvon, um dos principais protagonistas da série Downton Abbey, foi um hóspede assíduo do hotel e  patrono do egiptólogo Howard Carter, que em 1922 descobriu o túmulo intacto de Tutancâmon.

Este opulento hotel em Luxor combina o elegante design colonial com a glória dos tempos faraônicos. Nesse palácio do século 19, que já foi um retiro de inverno para a família real egípcia, Agatha Christie escreveu em 1937 seu famoso romance Morte no Nilo.

Foto 22 -Hotel Winter Palace.Egito 43Hotel Winter Palace – Foto Yeda Saigh

Museu de Luxor

Inaugurado em 1975, abriga uma coleção de esculturas maravilhosas! Dentre os itens mais impressionantes da coleção figuram algumas peças da tumba de Tutancâmon e 26 estátuas muito bem preservadas do Império Novo que foram desenterradas em 1989 no Templo de Luxor. As múmias reais de dois faraós – Amósis e Ramsés I foram postas em exposição em 2004.

Foto 23 -Museu de Luxor – Foto Internet

Vale dos Reis

é um vale no Egito onde, por um período entre os séculos XVI-XI a.C., tumbas foram construídas para os faraós e poderosos nobres do Império Novo. O vale se localiza na margem oeste do Rio Nilo, oposto a Tebas (atual Luxor), no centro da Necrópole de Tebas.

Foto 24 - Vale dos Reis-Luxor.Egito 47Vale dos Reis – Foto Yeda Saigh

As tumbas reais são decoradas com cenas da mitologia egípcia e dão pistas para as crenças e rituais funerários do período. Quase todas as tumbas encontradas foram abertas e roubadas na antiguidade, mas mesmo assim ainda transmitem uma ideia da opulência e poder dos faraós. O local é foco de explorações arqueológicas e egiptológicas desde o final do século XVIII, e suas tumbas continuam a estimular interesse e pesquisas.

Foto 25 - Egito 45Vale dos Reis – Foto Yeda Saigh

Nos tempos modernos o vale ficou famoso pela descoberta da tumba de Tutancâmon (e os rumores de sua maldição), também sendo um dos sítios arqueológicos mais famosos do mundo. Em 1979, o vale, junto com toda a necrópole, se tornou um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Foto 26 - Tumba Vale dos Reis.27Tumba Vale dos Reis – Foto Yeda Saigh

Visitamos a tumba de Hamsés VI que é o mais bonito, a de Hamsés III, mais simples. O vale é no meio das montanhas do deserto, incrível, não dá para ver de fora o que tem dentro. Visitamos também o Templo de Holschup.

Foto 27 - Túmulo do vale dos nobres. 51Túmulo do Vale dos Nobres – Foto Yeda Saigh

Vale das Rainhas:

é um vale desértico, menor do que o Vale dos Reis. Contem túmulos escavados nas rochas dedicados a esposas dos reis e aos seus filhos e filhas.

O túmulo que é considerado o mais belo e  mais famoso do Vale das Rainhas é o túmulo da rainha Nefertari, a esposa preferida do rei Ramsés II e uma das mais excepcionais rainhas consortes da história do Egito faraônico, mas infelizmente está fechado ao público há alguns anos devido as obras de restauração. Nós tivemos a sorte de visitar e é realmente uma maravilha, as cores estão atuais!

Foto 28 - Vale das RainhasVale das Rainhas – Foto Internet

Em 1979 a UNESCO colocou o Vale das Rainhas, junto ao Vale dos Reis, Karnak, Luxor, e outros sítios de Tebas (Luxor atual) na Lista do Patrimônio Mundial.

Esna

Esna é uma cidade pouco conhecida do sul do Egito. Fica localizada na beira do Rio Nilo, no caminho entre Aswan (167 km) e Luxor (60 km). Nessa pequena cidade se encontra um antigo templo dedicado ao deus Khnum (aquele simbolizado com cabeça de cabra) e esquecido das massas turísticas.

Foto 29 - Templo-de-Khnum Esna.Egito 26Templo de Khnum Esna – Foto Yeda Saigh

Abou Simbel, maravilhoso! É um complexo arqueológico  constituído por dois grandes templos escavados na rocha, situados no sul do Egito, no banco ocidental do rio Nilo perto da fronteira com o Sudão, numa região denominada Núbia, a cerca de 300 quilómetros da cidade de Aswan.

No entanto, este não é o seu local de construção original; devido à construção da barragem de Aswan e do consequente aumento do caudal do rio Nilo, o complexo foi trasladado do seu local original durante a década de 1960, com a ajuda da UNESCO, a fim de ser salvo de ficar submerso.

Os templos foram construídos por ordem do faraó Ramsés II em homenagem a si próprio e à sua esposa preferida Nefertari. O Grande templo de Abu Simbel é um dos mais bem conservados de todo o Egito.

Foto 30 Templo de Abu Simbel Templo de Abu Simbel – Foto Yeda Saigh

Curiosidades

No Egito não se entra no templo. A iniciação é um processo interior. Só o Faraó entra.

Toda civilização egípcia é virada para falar com os deuses.

Hoje, 29 de abril, o Papa estava no Egito e disse o seguinte: o Egito foi um dos primeiros países a aceitar o Cristianismo. O país conta com a maior comunidade cristã do Oriente Médio.

Para terminar um pensamento do Faraó Tutenkamon

“O mundo não precisa de paz, quem precisa somos nós”

Boa viagem!

4 comentários em “Egito – Cruzeiro no Rio Nilo

  1. Adorei sua viagem para o Egito
    Seus comentários são ótimos e bem explicados
    Continue sempre nos mostrando lugares interessantes, assim viajamos juntas
    Bjs Marcia Rocha Azevedo

    Curtir

  2. maravilhosas fotos ,muito precisa e clara essa viagem imagens tão apropriadas com comentarios tão veridicos!!!!obrigada Yeda ,estou te acompanhando pelo mundo.bj

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s