Safaris na África

 

Foto 1 - Zebras
Serengeti
Foto Yeda Saigh

Embora a primeira atividade que a maioria das pessoas associe à África seja safaris, existem inúmeras possibilidades de aventura. Você pode comprar artesanato em mercados, aventurar-se no Sahara, visitar aldeias, caminhar pela selva para assistir gorilas e elefantes passeando, relaxar nas ilhas tropicais no Oceano Índico, um paraíso para diversão diferente!

 

Foto 2 - Grumeti - Serengeti
Grumeti – Serengeti
Foto Yeda Saigh

A África é o segundo maior continente e segundo também mais populoso!

Nossa aventura foi fazer um Safari fotográfico na Tanzânia. Este belo país é um estado soberano na África Oriental situado na região africana dos Grandes Lagos.

Aproveitamos o feriado do Carnaval para realizar este programa. A melhor maneira de chegar é ir pela África do Sul em um vôo da South África para Johannesburg, cuja duração é de 8h50. De lá, uma conexão de 3h30 minutos para Dar es Salaam, capital do país, onde dormimos uma noite no hotel Hyatt Regency, com direito a um ótimo banho de piscina com vista para a cidade.

Endereço: 24 Kivukoni Rd, Dar es Salaam, Tanzânia

Telefone: +255 764 701 234

daressalaam.kilimanjaro@hyatt.com

Foto 3 - Hotel Hyatt Regency - Dar es Salam
Hotel Hyatt Regency – Dar es Salam
Foto Yeda Saigh

No dia seguinte pegamos um vôo para Ngorongoro, com uma parada em Zanzibar, uma ilha muito famosa. De cima do avião deu para ver casas bonitas.

Foto 4 - Ilha de Zanzibar
Ilha de Zanzibar
Foto Yeda Saigh

Finalmente chegamos em Arucha. O guia muito simpático nos aguardava e nos levou de Range Rover até o hotel Ngorongoro Crate Lounge.

Endereço: Ngorongoro Conservation Area, Tanzania, Tanzânia

Telefone: +27 11 809 4300

https://www.andbeyond.com/our-lodges/africa/tanzania/ngorongoro-crater

Foto 5 - Ngorongoro Crater Lodge
Ngorongoro Crater Lodge
Foto Yeda Saigh

A Cratera de Ngorongoro, uma das maiores atrações da Tanzânia é a quinta maior do mundo, as três primeiras são no Japão e a quarta é na Índia. A cratera era um antigo vulcão que implodiu há 2 bilhões de anos atrás. É também considerada a Arca de Noé da África Oriental, por abrigar no seu seio a quase totalidade das espécies animais daquela região, integrados num ecossistema que ainda não foi afetado pela mão do homem.

Foto 6 - Leões
Cratera de Ngorongoro – Leões
Foto Yeda Saigh

Observado do alto das suas falésias ou do fundo da sua vastíssima cratera, o Ngorongoro é um dos locais mais fascinantes da África. Foi chamada de a oitava maravilha do mundo, por alguns naturalistas, e pode-se entender o motivo. A cratera fica a 2.236 metros acima do nível do mar.

Foto 7 - Cratera de Ngorongoro
Cratera de Ngorongoro 
Foto Yeda Saigh

Na cratera de Ngorongoro pode-se ver búfalos, elefantes, zebras, gnus, gazelas, rinoceronte-negros, chitas, hienas, chacais, leões e hipopótamos.

Foto 8 - Ngorongoro Crater Lodge 1
Ngorongoro Crater Lodge
Foto Yeda Saigh

Há também um grande números de aves de belas espécies, incluindo avestruzes, abetardas, garças, garça-cristadas, garça-brancas, búfago-de-bico-vermelhos e incontáveis rosados flamingos.

Foto 9 - Pássaros - Cratera de Ngorongoro
Pássaros – Cratera de Ngorongoro.
Foto Yeda Saigh

A companhia &Beyond foi a nossa escolhida para nos ajudar em todos os detalhes da viagem. Foram impecáveis, estavam sempre no horário, nos levaram para todos os lugares. Eles tem 33 hotéis entre África do Sul, Tanzânia, Kenya e Marrocos.https://www.andbeyond.com/

Foto 10 - &Beyond
&Beyond
Foto Yeda Saigh

Todos os voos internos que fizemos foi com a companhia Costal,  sendo os aviões pequenos de hélice, mas muito bons –dava bastante segurança.  Os pilotos experientes e pontuais, e em alguns voos éramos só nós.

Foto 11 - Cia. Costal
Cia. Costal
Foto Yeda Saigh

Algumas informações importantes:

A Tanzânia é um país no centro leste da África, a beira do Oceano Índico, com uma população de 50 milhões de habitantes, mais da metade são católicos. Foi uma colônia alemã desde a década de 1880 até 1919 e colônia britânica entre 1919 e 1961. Pouco depois da independência, Tanganica e Zanzibar fundiram-se para criar a nação da Tanzânia, a 26 de Abril de 1964. O nome do país era Tanganica sob o domínio dos alemães, eles conservaram as três primeiras letras, depois puseram zan de Zanzibar e nia, que quer dizer união, mudando o nome para Tanzânia.

Além de sua parte continental, a Tanzânia possui o arquipélago de Zanzibar, no Oceano Índico.

A Tanzânia é o lar de alguns dos mais antigos assentamentos humanos, com fósseis dos primeiros seres humanos, encontrados próximos da Garganta de Olduvai, no norte da Tanzânia, uma área muitas vezes referida como “o berço da Humanidade”. Estes incluem ossos fósseis de Paranthropus que se pensa ter mais de 2 milhões de anos, e as pegadas mais antigas conhecidas.

O hotel onde nos hospedamos, Ngorongoro Crater Lodge, é dentro da reserva de Serengeti. Os chalés tem vista para a cratera, são muito bem decorados e confortáveis. A parte central tem duas salas muito bonitas, uma sala de jantar e um belo terraço com uma vista deslumbrante para a Cratera, onde ficam os animais. Para você ir e voltar dos chalés a noite tem que chamar o guarda, pois é perigoso andar sozinha depois que anoitece por causa dos animais que vivem soltos. A comida é ótima!!

Foto 12 - Ngorongoro Crater LodgeJPG
Ngorongoro Crater Lodge –
Foto Yeda Saigh

Depois de um bom café da manhã, fomos de jeep conhecer a cratera, vimos muitos animais: zebras, búfalos, gazelas, leões, macacos, todos em plena liberdade! Na volta fomos conhecer a lojinha do hotel, é ótima, não perca!!

Foto 12a - Macacos
Ngorongoro Crater Lodge –
Foto Yeda Saigh

No dia seguinte acordamos cedo, fomos para o aeroporto pegar o voo das 11h50, e qual não foi nosso espanto: vimos um leopardo atravessar a estrada bem na nossa frente!

Foto 13 - Ngorongoro Crater Lodge
Ngorongoro Crater Lodge –
Foto Yeda Saigh

Dois vôos curtos e chegamos no aeroporto que é a 5 min do Hotel Grumeti Serengeti Tented Camp. O guia da &Beyond nos esperava, o hotel é bem mais rústico do que o de Ngorongoro, mas muito charmoso.Endereço: Serengeti National Park, Tanzania, Tanzânia

Telefone: +27 11 809 4300

A recepção dos hóspedes nesses hotéis é bastante folclórica: todos os empregados cantam e dançam para dar as boas vindas e fazem questão de cumprimentar dando a mão a cada um e na saída dão um grande abraço!

Foto 14 - Serengeti Camp
Grumeti Serengeti Tented Camp
Foto Yeda Saigh

São 10 tendas/cabanas super charmosas, o chuveiro é ao ar livre, as salas são todas abertas sem portas, chão de cimento ou areia. Na frente das salas e das cabanas tem um lago enorme cheio de hipopótamos, mais de 150!! Ficam o tempo todo se mexendo e conversando entre eles. Almoçamos no restaurante do hotel, comida muito boa.

Foto 15a Grumeti Serenheti Tented Camp
Grumeti Serengeti Tented Camp
Foto Yeda Saigh

 

Partimos às 16hs para nosso primeiro safari acompanhados de um casal de franceses. O encontro é numa das salas do hotel e a essa hora tem um lanchinho: bolo, biscoito, scones ingleses com marmelade e suco, tudo delicioso!

Foto 15 - Grumeti Serengeti
Grumete Serengeti Tented Camp
Foto Yeda Saigh

O guia nos informou que nessa reserva do Serengeti tem cerca de 10 milhões de animais: 1.5 milhões de zebras, 1.5 milhões de búfalos, 3000 leões, 2000 elefantes. Os mais perigosos são os búfalos e os hipopótamos!! Eu sempre achei que eram os leões e as gitas! Vimos 2 chitas lindas, muitas girafas, uma família enorme de elefantes, búfalos, e só nessa tarde 23 leōes!

Foto 16 - Leões
Grumete Serengeti – Leões
Foto Yeda Saigh

Voltamos às 19 hs, assistimos a um por do sol lindo, jantamos no gramado à luz de velas, tudo muito bonito!

O chef vem na mesa antes do jantar, explica o menu e pergunta o que cada um quer. Mas o problema foi que ele não sabia falar inglês direito e entendeu tudo errado sobre o nosso pedido!! Depois soubemos da história dele: trabalha nesse lodge há 25 anos e fez carreira: começou varrendo o jardim, depois foi lavar pratos e aprendeu a cozinhar, mas infelizmente não conseguiu aprender a falar inglês!!

No segundo dia acordamos às 6 horas, ainda estava escuro e saímos para o safari! Vimos muitos animais, é tudo muito lindo, uma savana que não acaba, a perder de vista!!

Foto 17 - Serengeti - Hipopótamos
Grumete Serengeti – Hipopótamos
Foto Yeda Saigh

Voltamos para tomar café da manhã no hotel às 10hs. Esse horário é escolhido em função do calor. Na hora do almoço, fica insuportável, com mais de 35 graus!! E detalhe importante, não tem ar condicionado em lugar nenhum, nem nas salas e nem nos quartos. A noite esfria bastante, então não faz falta para dormir.

Fomos tomar banho de piscina, cuja localização é em frente ao lago dos hipopótomos. Sem dúvida, é um pouco estranho nadar e, bem perto, ter um monte de hipopótomos, considerado o animal mais perigoso da África!

Foto 18 - Piscina Hotel Serengeti
Piscina Hotel Grumete Serengeti Tented Camp
Foto Yeda Saigh

Almoçamos uma pizza ótima, famosa na região. Depois de um pequeno descanso e lá fomos nós de novo par outro safari! Dessa vez, fomos ver crocodilos e procurar as chitas, achamos!!

Foto 19 - Chitas
Grumete Serengeti – Chitas
Foto Yeda Saigh

No final do passeio o guia parou e organizou um happy hour dentro de uma clareira de árvores com todo tipo de bebidas, batatinhas e nuts dentro de um pneu pendurado numa árvore! Muito simpático, em frente ao lago dos hipopótamos.

Foto 20 - Happy hour
Grumete Serengeti – Happy Hour
Foto Yeda Saigh

Nesta noite, o jantar no hotel foi servido em um outro lugar, super arrumado, com flores, a luz de velas, comida ótima sempre.  Ficamos lá três noites e cada jantar foi em um lugar diferente, sempre super charmoso.

O hotel desliga o gerador às 23 horas, o jeito é dormir cedo e é melhor já que os safaris começam super cedo.

Foto 21 - Por do Sol
Grumete Serengeti – Por do Sol
Foto Yeda Saigh

Fizemos um passeio até o Lago Vitória, o segundo maior lago do mundo (o primeiro é o Lago Superior na fronteira do Canadá com os EUA). A cidadezinha próxima é muito pobre, muito semelhante as nossas favelas.

Foto 22 - Lake Vitoria
Grumete Serengeti – Lago Vitoria
Foto Yeda Saigh

Demos uma volta de barco no lago, que é lindo e tentamos pescar sem sorte, nenhum peixe! O lago fica no meio de três países: Uganda, Kenya e Tanzânia.

Foto 23 - Lake Vitoria1
Grumete Serengeti – Lago Vitoria
Foto Yeda Saigh

Se puder, no caminho para o aeroporto, pare num shopping na estrada ótimo, novinho, super bem arrumado, ótimas compras, um bom cafezinho e banheiros limpíssimos!

No dia seguinte  pegamos 6 vôos! Quatro pequenos até Dar es Salam e dois já em aviões grandes, um para Johannesburgo de  3h30 e depois outro Cape Town, 1h40 UFA!!!

Chegamos em Cape Town onde ficamos no Hotel Cape Grace, um espetáculo!! Muito bem bem localizado, fica em Water Front, além de lindo o lugar tem tudo, walking distance de lojas, restaurantes e shoppings!

Foto 24 - Cape Grace Hotel
Hotel Cape Grace – Cape Town
Foto Yeda Saigh

O hotel é super bonito, hall de entrada muito acolhedor, uma sala de jantar bem simpática, loja imperdível com objetos antigos africanos: ovos de avestruz desenhados lindíssimos. Os quartos são muito confortáveis com uma linda vista para os barcos e a montanha.

https://www.capegrace.com/
Victoria & Alfred Waterfront

W Quay Rd · +27 21 410 7100

Foto 25 - Vista do hotel Cape Grace
Vista do hotel para Vitoria & Alfred Waterfront
Foto Yeda Saigh

Cape Town é uma cidade belíssima, segunda cidade mais populosa do país, famosa pelo seu porto natural, incluindo marcos bem conhecidos, como a montanha da Mesa e a baía da Mesa, sendo um dos mais populares destinos turísticos nacionais.

 

Cape Town foi utilizada pela Companhia Holandesa das Índias Orientais como uma estação de abastecimento de navios holandeses que navegavam para a África Oriental, Índia e o Extremo Oriente.

Jan van Riebeeck chegou à região em abril de 1652 e estabeleceu o primeiro assentamento europeu permanente na África do Sul. A Cidade do Cabo desenvolveu-se rapidamente, tornando-se o polo econômico e cultural da Colônia do Cabo. Até a febre do ouro de Witwatersrand, que resultou no desenvolvimento de Joanesburgo, a Cidade do Cabo era a mais populosa cidade sul-africana.

 

No dia seguinte fizemos um tour hop on hop off. Aproveite essa experiência de turismo única em Cape Town a bordo de um ônibus de dois andares. Experimente a conveniência de sair e voltar em mais de 20 paradas e explorar Cape Town no seu próprio ritmo. Seu ingresso hop-on, hop-off é válido por 1 dia ou 2 dias, conforme sua escolha. O comentário de áudio em vários idiomas está disponível no ônibus.

É muito prático para se conhecer uma cidade, eu já fiz em várias cidades pelo mundo e gostei muito, recomendo!!

cape-town_5362_1
Hop on Hop off – Cape Town

Paramos no Mount Nelson Hotel. É um hotel antigo, muito chique, tipo Copacabana Palace. Continuamos o passeio e passamos por todas as praias lindas de Cape Town sempre com as montanhas a volta como uma moldura. Vimos a ilha Robben, onde Nelson Mandela – o primeiro presidente da África do Sul eleito por sufrágio universal em 1994, ficou preso 27 anos!! A ilha foi inscrita pela UNESCO na lista dos lugares que são considerados Património da Humanidade em 1999.

Foto 27 - Mount Nelson Hotel
Hotel Mount Nelson – Cape Town
Foto Yeda Saigh

 

Localizada à entrada da baía da Mesa, esta pequena ilha, foi “descoberta” por Bartolomeu Dias em 1488 e, durante muitos anos, foi utilizada por navegadores portugueses, mais tarde por ingleses e holandeses como posto de reabastecimento. O seu nome atual significa “ilha das focas”, em neerlandês.

Para além de ser um museu que retrata uma parte da história da África do Sul, principalmente no que refere à luta contra o apartheid, a Ilha Robben é igualmente um santuário natural para muitas espécies, tanto marinhas, como terrestres.

Foto 28 - Ruben Island
Ruben Island – Cape Town
Foto Yeda Saigh

Almoçamos no restaurante Balthazar, perto do hotel, no meio da Water Front, bem simpático. Depois fomos visitar a Table Montain: uma montanha que tem o formato de uma mesa, com uma vista espetacular para a cidade de Cape Town, um dos pontos turísticos mais famosos da cidade. Pegue o teleférico para ir até o topo. A montanha faz parte do Parque Nacional Table Mountain.

Foto 29 - Table Mountain
Table Mountain – Cape Town
Foto Yeda Saigh

 

O transito aqui é intenso! Depois fomos numa outra montanha para ver uma vista também super bonita!! Jantamos num restaurante italiano Balducci, pizza, simpático, walking distance do hotel.

Um ótimo programa é ir almoçar no restaurante Delaire Graff Estate, do hotel com o mesmo nome. Graff é famoso no mundo todo por seus brilhantes e possui várias minas na África do Sul. Fica a uma hora de Cape Town, perto da cidade de Stellenbosch, passeamos um pouco pela cidade que é muito charmosa.

Foto 30 - Graff
Delaire Graff Estate
Foto Yeda Saigh

O restaurante é ótimo, frequência interessante e comida boa, com uma vista deslumbrante para um mar de vinhas e olivais plantados no Simonsberg, as vistas do terraço se estendem até o Vale de Banhoek. Os interiores projetados por David Collins Studio incluem banquetas de couro cor de laranja e objetos de arte escolhidos a dedo.

Foto 31 - Restaurante Delaire Graff Estate
Restaurante Delaire Graff Estate
Foto Yeda Saigh

O spa do hotel é super bonito, com uma loja linda, vale a pena dar uma olhada.

 

Endereço: Helshoogte Rd, Banhoek, Stellenbosch, 7600, África do Sul

Telefone: +27 21 885 8160

 

Para finalizar pensamentos de Nelson Mandela:

 A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.

 

Não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto a gente mudou.

 

Boa viagem!

 

Colaboradora – Ana Saboia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s